Google+ Followers

domingo, 26 de julho de 2009

poemasmeus-3328

parece ser
uma densa ventania branca,
a vida e os passos
que erro pelo mundo,
parece ser neblina
de salamanca, tardinha de lucca,
noite plena de marrakesh;

entre olhos, mãos e pulsos
vou-me espalhando em versos
pelo mundo imenso em mim;

assim, sozinho e longínquo,
recolho as palavras mais bonitas
que me são ditas e não ditas,
acolho quereres, frustro ilusões,
destituo os óbvios, arranco cores
dos dias mais duros;

se chegará a amada, que seja no simples,
no árduo,
no incomparável e no brilho.

Nenhum comentário: