Google+ Followers

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

quando houve nalgum tempo
o mais abraço dos ventos
não era assim tão igual ao que
hoje temos;

absoluto encontro
do encaixe,
fina flor de todo
complemento;

ver-te indo é
ir-me junto:
volta não,
não sai.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

poemasmeus 000001

tem ar e cal
o nome da amada,
e vão nela olhos
de comer o planeta por cores;
primeiro, ela tragou todo o verde
que a suavidade podia dar conta;
ao verde, deu-lhe tons de rosa, por ser
ela amiga das alegrias mais diminutas;

tam cal, tem ar,
o nome da amada tem tudo
que me faz calar;

parece ser que até as ruas
lhe fazem reverência ao passar:

tem cal, tem ar,
tem calma
tem mar,
tem eu em baile bom
e
tem, ao fundo do fundo,
o amor, em todo tom.