Google+ Followers

domingo, 13 de julho de 2008




desmantelando estruturas opacas,
o gasto coração,
o abraço desenhado,

ela desfaz a mitigação
de todos os tempos;

assim edifica na lua
horizontes impensados
em mim,

rói-se o Tempo
da fuga,
o espetáculo daninho
da falta absoluta;

quem lhe há de coroar,
coração,
é a estrela cativada
da tua agonia.

Nenhum comentário: