Google+ Followers

sábado, 31 de maio de 2008

Livros fininhos

Acredito mais em livros fininhos que naquelas coisas enormemente gordas. Quem é bom diz tudo em poucas palavras. Poder de concisão. Os idiotas normalmente precisam de mais espaço para a expressão.

Não confundam com o grossor de obras reunidas e coletâneas, que são extensos porque o autor interessante compôs uma coleção louvável de textos concisos.

Por isso a Academia adora a infinita punheta teórica, espalhada por campos de hectares filosobresantos. No fundo, no fundo, os papagaios têm menos a dizer do que se imagina, pois são papagaios repetidores que só fazem chancelar o óbvio.


Uma frase de Millôr é mais benéfica ao pensamento humano que toda a coleção de teses de Psicologia da Federal.

Nenhum comentário: