Google+ Followers

quinta-feira, 12 de julho de 2012

E há quem pare um poema? Ou lido, é inevitavelmente engolido e tragado para o mais dentro do fundo. Mesmo e ainda o poema vagabundo.

Nenhum comentário: