Google+ Followers

domingo, 29 de agosto de 2010

poemasmeus 334098-b

toda a troça do canto oco
que da barba escorre pegajosa
vem dele messiânico e tosco
inaciando a plebe rude;

coloca ao serviço do espúrio
a idiota de vermelha plumagem,
o plano é simples e mal
bancos gordos e alimento para a vassalagem,

dobram-se sinos e joelhos,
abrem-sem bolsos, revelam-se cuecas,
na fauna tropicada do poder
um martelo de mentiras brilha:
é a unanimidade da idiotia
que há de morrer, de si mesma,
um dia.

Nenhum comentário: