Google+ Followers

domingo, 8 de fevereiro de 2009

poemasmeus8855



teu refúgio nas montanhas,
meu abismo de abraço,
meu teu céu imenso aberto,
nossas bocas de horizonte,
toda a falta no espaço,
teu cansaço doce,
nossas únicas noites simples;

brindo por tudo de ti,
por cada passo não dado,
pelo peso abortado
do cotidiano infeliz;

conviver é poço cavado;

vivamos o beijo revolucionário:
teu oco em minha boca
é teu beijo eterno diário.


Nenhum comentário: